Notícias

21/11/2018

Justo reconhecimento, o criminalista soma 50 anos de profissão e coleciona amigos por onde passa.

MDA - Movimento de Defesa da Advocacia anunciou hoje o ganhador da 3ª edição da Medalha MDA, honraria justamente conferida à Antônio Claudio Mariz de Oliveira por seu destaque nas relevantes contribuições ao exercício da Advocacia no País.


 

A cerimônia aconteceu em SP e celebrou também os 15 anos da entidade.

Ao saudar o vencedor, o ex-presidente da entidade, Sérgio Rosenthal, enalteceu a paixão do homenageado pela advocacia. Paixão esta que motivou a criação do MDA em 2003 diante das frequentes violações de prerrogativas que vinham acontecendo com as invasões a escritórios de advocacia.

Sempre aguerrido, Mariz agradeceu a láurea e ressaltou a importância do advogado para manutenção do Estado Democcrático de Direito. Falou ainda sobre o atual contexto político-social.

"Eu gostaria hoje de não falar de lava jato, não falar da caça às bruxas. Não falar do sistema penitenciário brasileiro. Gostaria de falar de afeto, amizade, cordialidade, tão imprescindíveis no dia de hoje e em contraponto ao que surge no horizonte. O que surge é intolerância raivosa; quase o ódio. A disputa entre irmãos. A separação de um Brasil que até hoje se manteve mais ou menos cordial. Não estou com medo da ruptura da democracia ou da queda das instituições. Mas temo a barbarie que se anuncia num discurso jamais visto. Quero timidamente e humildemente proclamar a necessidade do Amor, do ombro posto à disposição daquele que precisa. Tenho medo que as coisas surjam como se imagina, Por isso quero falar de amizade. Em primeiro lugar a que dedicam a mim. É emocionante. De derramar lágrimas."

Ao enumerar suas paixões, ufanou a que sente pela pátria. "O Brasil precisa de amor. Precisa afastar a elite deletéria, que se envergonha de ser brasileira. Elite predatória que suga e vai embora, manda os filhos para fora. Nunca vai para arena melhorar o país. Tem vergonha não ter pedigree. A pátria é a extensão da família. Dar as costas à nação é dar as costas a nós mesmos."

Com uma sabedoria ímpar, Mariz é daqueles que soma cultura à qualquer roda de conversa. Advogado criminal há 50 anos, foi presidente da OAB/SP, da AASP, do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciário e Secretário de Justiça e de Segurança Pública do Estado de SP. Conhecido nacionalmente por atuar na defesa do presidente Michel Temer, tem em sua trajetória outros casos de grande repercussão, como do ex-governador Orestes Quércia e do ex-tesoureiro de Collor, PC Farias.

A escolha do prêmio é feita por meio de consulta pública, mediante o envio de carta-convite para aproximadamente 10.000 pessoas, dentre Advogados, Professores, membros dos 3 Poderes e outras Autoridades. A partir dos proeminentes nomes indicados, uma comissão julgadora define o vencedor.

Neste ano, a comissão foi composta por:

  • Rodrigo R. Monteiro de Castro (Presidente da Comissão) – Presidente do MDA
  • Eduardo Perez Salusse – Presidente do Conselho do MDA
  • Marcos da Costa – Presidente da OAB/SP e Conselheiro do MDA
  • Luiz Périssé Duarte Junior - Presidente da AASP
  • Carlos José Santos da Silva - Presidente do CESA
  • José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro –  Presidente do IASP e Conselheiro do MDA
  • Fabio Tofic Simantob – Presidente do IDDD e Conselheiro do MDA

Colunista do Migalhas desde 2010, escreve crônicas que reproduzem o sabor particular de sua experiência vivida: são as Marizalhas. Pensamentos, sentimentos e visões críticas sobre os mais variados aspectos da vida social e política. Mariz investe em todos eles de forma particular, com alegria, surpresa, indignação e humor. Alguns desses textos estão compilados na obra “Crônicas Absolvidas”, uma obra-prima da emoção. Um passeio feito ao cotidiano por um flâneur atento e minucioso. É uma reminiscência, uma lembrança que resistiu ao tempo pela beleza, pelo inusitado, pela graça. É, consequentemente, uma saudade bem adjetivada.
Fonte: Migalhas SP