Notícias

17/12/2019
Procuradores de Justiça Gianpaolo Smanio e Arnaldo Hossepian são condecorados com o Colar do Mérito Judiciário
 
Comenda é a mais importante honraria do Tribunal paulista.
 
 
        O Tribunal de Justiça de São Paulo condecorou o procurador-geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Poggio Smanio, e o procurador de Justiça Arnaldo Hossepian Salles Lima Junior com o Colar do Mérito Judiciário, a mais alta comenda do Judiciário bandeirante. A outorga aconteceu ontem (16) no Salão Nobre “Ministro Manoel da Costa Manso”, no Palácio da Justiça, sede do TJSP.
 
        O desembargador Roberto Caruso Costabile e Solimene saudou Arnaldo Hossepian em nome da Corte, relembrando sua carreira. Hossepian nasceu em julho de 1961, na cidade de São Paulo. É graduado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), turma de 1983. Ingressou no Ministério Público em março de 1987, tendo sido promovido a procurador de Justiça em junho de 2009. Entre 2010 e 2011 foi secretário-adjunto da Segurança Pública de São Paulo e mais adiante, entre 2012 e 2015, foi subprocurador-geral de Justiça. Integrou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), na cadeira destinada ao Ministério Público dos estados por dois biênios, de 2015 a 2019. “O homenageado tem vasto currículo de feitos pessoais e profissionais, que não nos dá inveja, mas orgulho. Honra-nos sua amizade, que data de mais de 40 anos. Nela nada é postiço. E de todas as suas muitas qualidades que rebrilham, aponto três: lealdade, honestidade e competência”, afirmou o orador. 
 
        O desembargador José Damião Pinheiro Machado Cogan representou o Tribunal na saudação a Gianpaolo Smanio. O magistrado informou que o homenageado é formado pela Faculdade de Direito da USP e mestre e doutor pela PUC. Ingressou no MP em 1988 e atuou como primeiro-tesoureiro e primeiro-vice-presidente da Associação Paulista do Ministério Público. Ascendeu à segunda instância em 2009. Foi secretário-executivo do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Smanio por duas vezes foi o candidato mais votado para compor a lista tríplice a ser encaminhada ao governador para escolha do procurador-geral, tendo sido o indicado em ambas as vezes. “O Ministério Público do Estado de São Paulo, sob o comando de Vossa Excelência, tem demonstrado que o crime não vencerá, pois o bem sempre prevalece sobre o mal”, declarou Damião Cogan. “O Tribunal de Justiça de São Paulo ao conferir a Vossa Excelência o ‘Colar do Mérito Judiciário’ expressa o seu respeito e admiração, fazendo, ainda, na pessoa de Vossa Excelência, o reconhecimento do trabalho de todos os integrantes dessa honrada instituição.”
 
        O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes prestigiou a solenidade e ocupou a tribuna para enaltecer os galardoados e o TJSP. “É uma honra voltar ao Tribunal de Justiça de São Paulo, o maior da Federação não só em tamanho, mas também em história e competência”, disse o ministro. Alexandre de Moraes parabenizou o presidente da Corte bandeirante, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, por dois anos de gestão “de trabalho efetivo, não só no estado, mas em Brasília, perante o CNJ, o STF e o Congresso Nacional”. Ele cumprimentou também os dois agraciados, destacando que “sempre tiveram como absoluta prioridade o fortalecimento do Ministério Público”.
 
        “Jamais imaginei que pudesse ser distinguido com tamanho galardão, neste ambiente solene, nas instalações belíssimas, que datam de 1933, e cheio de história do Tribunal de Justiça paulista”, afirmou Arnaldo Hossepian. Ele contou que, em sua trajetória no CNJ, pôde conviver com a realidade de todos os tribunais brasileiros. “Com base nessa experiência vivida, estou seguro em dizer que o Tribunal de Justiça de São Paulo é, sem dúvida, o mais cobrado, onde se depositam as maiores expectativas, servindo de exemplo para todo o País”, pontuou.
 
        Gianpaolo Poggio Smanio se autodenominou um “filho da família forense” e agradeceu com emoção a homenagem recebida. “Meu coração está repleto de gratidão, alegria e felicidade em estar aqui com minha família”, afirmou. Segundo ele, o Tribunal é o local especial onde se realiza a vocação de todo promotor de Justiça. “É aqui que se torna realidade a minha profissão de fé, é aqui que realizo a minha vocação, é aqui que se faz efetivamente a Justiça”, declarou. “Celebrar a Justiça de São Paulo é celebrar a democracia, é celebrar a cidadania”, finalizou.
 
        O presidente da Corte, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, expressou sua alegria em conduzir solenidade tão importante e repleta de sentimento cívico. O magistrado regalou o público com histórias da família forense, hauridas em uma trajetória de quase cinco décadas de dedicação integral à Magistratura, testemunhos sobre uma instituição que evolui e se moderniza, mas sem alterar os valores que a sustentaram ao longo de 150 anos. Antes de encerrar a solenidade, reafirmou os méritos dos agraciados. “Quero registrar o carinho, respeito e admiração pela história de vida que construíram. Muito obrigado por tudo o que fizeram pelo povo paulista”, concluiu.
 
        Também prestigiaram a solenidade o secretário de Estado da Justiça e Cidadania, desembargador Paulo Dimas Debellis Mascaretti, representando o governador; o vice-presidente do TJSP, desembargador Artur Marques da Silva Filho; o corregedor-geral da Justiça do Estado de São Paulo e presidente eleito para o biênio 2020/2021, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco; o decano do TJSP, desembargador José Carlos Gonçalves Xavier de Aquino; o presidente da Seção de Direito Criminal do TJSP, desembargador Fernando Antonio Torres Garcia; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo, desembargador Carlos Eduardo Cauduro Padin; o vice-presidente eleito para o biênio 2020/2021, desembargador Luis Soares de Mello Neto; o corregedor-geral da Justiça eleito para o biênio 2020/2021, desembargador Ricardo Mair Anafe; o presidente da Seção de Direito Criminal eleito para o biênio 2020/2021, desembargador Guilherme Gonçalves Strenger; o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo Renato Martins Costa, representando o presidente; a procuradora-geral do Estado de São Paulo, Maria Lia Pinto Porto Corona; o 3º subdfensor público-geral, Florisvaldo Antonio Fiorentino Junior, representando o defensor público-geral do Estado de São Paulo; o vice-corregedor-geral do Ministério Público do Estado de São Paulo, procurador de Justiça Motauri Ciochetti de Souza, representando o corregedor-geral; o delegado de polícia diretor do DHPP, Domingos Paulo Neto, representando o delegado-geral de Polícia do Estado de São Paulo; o secretário municipal de Justiça, Rubens Rizek, representando o prefeito; o desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, Fausto de Sanctis; o ouvidor do TJSP, desembargador Mohamed Amaro; a vice-presidente da Associação Paulista de Magistrados, juíza Vanessa Ribeiro Mateus, representando o presidente; a presidente do Instituto Paulista de Magistrados, juíza Hertha Helena Rollemberg Padilha de Oliveira; o 2º vice-presidente da Associação Paulista do Ministério Público, Gabriel Bittencourt Perez, representando o presidente; o vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção São Paulo, Ricardo Toledo Santos Filho, representando o presidente; o presidente da Associação dos Advogados de São Paulo, Renato José Cury; o professor José Fernando Simão, representando o diretor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo; a cônsul-geral honorária da República da Armênia em São Paulo, Hilda Diruhy Burmain; o presidente Nacional do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados, Carlos José Santos da Silva;o chefe da Assessoria Policial Militar do TJSP, coronel PM Sérgio Ricardo Moretti; o delegado-chefe da Assessoria Policial Civil do TJSP, Fábio Augusto Pinto; a representante da Arpen-SP, Liana Varzela Mimary; familiares do procurador de Justiça Gianpaolo Smanio: Luiz Antonio Mascaro Smanio (pai), Heloisa Helena Poggio Smanio (mãe), Cinthia Clepf Martins Smanio (esposa) e Gianluca Martins Smanio (filho); familiares do procurador de Justiça Arnaldo Hossepian: Marlene Toschi (mãe), Reinaldo Hossepian (irmão), Milton Toschi (primo), Daniela Tosi (namorada), Celso Tosi (sogro) e Luiza Brito (tia); desembargadores, juízes, integrantes do Ministério Público, defensores públicos, advogados, militares, familiares, amigos e servidores da Justiça.

Imagens do evento>>

Fonte: Tribunal de Justiça de São Paulo