Notícias

16/08/2018

A edição 2018 do Anuário da Justiça de São Paulo foi lançada nesta quarta-feira (15/8), em cerimônia com a presença da direção do Tribunal de Justiça paulista: o presidente Manoel Pereira Calças; o vice-presidente Artur Marques; o corregedor-geral Geraldo Pinheiro Franco; o presidente da Seção de Direito Privado, Gastão de Campos Mello Filho.


Lançamento do Anuário da Justiça São Paulo 2018, na noite desta quarta-feira.

A juíza Vanessa Ribeiro Mateus representou a Associação Paulista dos Magistrados (Apamagis) e juíza Hertha Rollemberg Padilha de Oliveira, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). O corregedor do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Cláudio Mello Tavares, também prestigiou o evento, que aconteceu no Palácio da Justiça, sede da Justiça de São Paulo, na região central da capital.

Com uma visão do funcionamento do maior tribunal do país, a nona edição da publicação traz o perfil dos 360 desembargadores e 83 juízes em segundo grau, além de informações estratégicas de todos os setores e, também, uma novidade: o Placar de Votação, que apresenta um panorama claro das tendências de cada Câmara e decisões de cada desembargador nas questões mais urgentes, polêmicas e recorrentes no Judiciário.


Presidente do TJ-SP, desembargador Pereira Calças, discursa no evento.

“A cada ano, a edição do Anuário supera a anterior, fazendo com que cada vez mais sirva de norte, de bússola para aqueles que querem saber qual é a tendência, por onde caminha, quais são as inclinações, e isso também serve para transmitir a segurança jurídica, que é um dos requisitos essenciais para o mundo dos negócios e o mundo globalizado”, afirmou Pereira Calças, em discurso no púlpito montado em frente ao Salão do Júri.


Cláudio de Mello Tavares, corregedor do TJ-RJ.

O corregedor-geral do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Cláudio de Mello Tavares, falou sobre gestão, criatividade em tempos de crise e conectividade. “Diante das adversidades, várias alternativas são criadas mostrando o empenho, entusiasmo e operosidade de magistrados e também dos seus servidores. Encontram-se saídas que geram resultados, satisfação e reconhecimento da sociedade. Essas ações precisam ser difundidas, e o intercâmbio de experiências é fundamental para o aperfeiçoamento do Anuário”, disse Cláudio de Mello Tavares.


Dispositivo de honra: (da esquerda para a direita) Davi Depiné, defensor público geral de São Paulo; Luiz Périssé Duarte Júnior, presidente da Aasp; Luiz Flávio Borges D’Urso, conselheiro da OAB-SP; Cláudio Mello Tavares, corregedor-geral do TJ-RJ; Fernando Torres Garcia, presidente da Seção de Direito Criminal do TJ-SP; Artur Marques, vice-presidente do TJ-SP; Pereira Calças, presidente do TJ-SP; Márcio Chaer, diretor do Anuário da Justiça; Geraldo Pinheiro Franco, corregedor-geral do TJ-SP; juíza Vanessa Ribeiro Mateus, vice-presidente da Apamagis; José Horácio Rezende Ribeiro, presidente do Iasp; juíza Hertha Rollemberg Padilha de Oliveira, representante da AMB; Carlos José Santos da Silva (Cajé), presidente do Cesa.

A reportagem de abertura do Anuário da Justiça São Paulo 2018 mostra como o investimento em tecnologia e qualificação dos servidores aumentou a produtividade dos julgamentos, apesar de São Paulo acumular um quarto do acervo de processos à espera de julgamento em todo o país.



Salão dos Passos Perdidos. 

A publicação ainda mostra que, na primeira instância, o Judiciário paulista melhorou seu desempenho com o aumento da equipe que trabalha diretamente com os juízes nas decisões, com a padronização de procedimentos em cartórios das varas e com a especialização de juízes e varas. Como resultado, a redução do tempo do processo e mais segurança jurídica.
 


 

A reportagem especial traz um panorama da judicialização da saúde, em decisões de vida ou morte em que juízes passam a ditar políticas públicas do setor. O texto mostra porque processos contra o governo de São Paulo chegam a movimentar bilhões de reais, além de informar os medicamentos mais pedidos, as doenças mais frequentes e os procedimentos mais solicitados judicialmente.
 


Fábio Prieto, desembargador do TRF-3; Pereira Calças, presidente do TJ-SP; Geraldo Pinheiro Franco, corregedor-geral da Justiça paulista; Horário Rezende Ribeiro, presidente do Iasp; desembargador Fernando Torres Garcia, presidente da Seção de Direito Criminal.
 

Anuário da Justiça São Paulo 2018 é instrumento para compreender o funcionamento, a doutrina, a jurisprudência e o dia a dia de uma instituição que toca a vida de milhões de cidadãos e profissionais do Direito.





A publicação está à venda na Livraria ConJur. A versão on-line está disponível no aplicativo "Anuário da Justiça", que pode ser baixado na App Store e na Play Store.


Fonte: Consultor Jurídico - SP